Toby Collection, pioneer in accessible for children gisele.jorn@uol.com.br

Loading...

30/05/2015

GEÓGRAFA VALÉRIA DUARTE É MINHA PRIMEIRA AMIGA VIRTUAL-REAL

São Paulo, capital, 2005, 18, outubro. Conheci a professora e geógrafa Valéria Duarte (Taubaté, SP), a Val, no orkut. Nosso primeiro encontro foi no abraço à Biblioteca Mario de Andrade em forma de fila imensa, que dava volta no prédio. Ficamos ali, na chuva, pessoa alguma foi embora sem assistir uma aula sobre o semiárido nordestino com o cientista, geógrafo, ambientalista e humanista Prof. Aziz Ab’Sáber.

Eramos o dobro da capacidade de lotação do auditório. Não fosse o profissionalismo e o amor do conferencista Aziz Ab’Sáber não teríamos tido a chance de ouvi-lo. Ele fazia questão de afirmar ser uma aula. Os sábios são gigantes em sua humildade, os ignorantes são pequenos em sua vaidade. O Prof. Aziz chegou duas horas antes da hora marcada e, assim, generosamente, orientou os organizadores para dividir o público em dois grupos e ele deu duas aulas inesquecíveis sobre o semiárido nordestino.

TRANSPOSIÇÃO DAS ÁGUAS. "A capacidade de adaptação do homem nordestino surpreende cientistas de todo o mundo. São 23 milhões de brasileiros que habitam os sertões, denominados população difusa. Esses não serão contemplados pela transposição das águas, que além do mais são poluídas", ele nos falou. Também nos disse: "políticos que não querem aprender e não têm bons assessores dizem que acadêmicos não dão votos. Então, vamos jogar água para o sertão já que o rio corre para o mar, dizem eles". "Retirar água de uma bacia e levar para outra, via transposição, não garantirá água para o sertão. O rio São Francisco, que nasce na Serra da Canastra (Triângulo Mineiro) e vai até o mar das Alagoas, tem 2.170 quilômetros de extensão. Este projeto não atenderá a população difusa, só a linear valorizando as terras de grandes fazendeiros", concluiu Ab'Sáber, em 18/10/2005.

DO VIRTUAL PARA O REAL. Aquela foi uma data inesquecível para mim, que tive o privilégio de conhecer, pessoalmente, a professora e geógrafa Valéria Duarte, a mais dedicada e amada pelos alunos de Taubaté. Depois, tive o privilégio de recebê-la e aos seus alunos com o mestre Aziz, na aula no auditório Eva Herz, da Livraria Cultura, no lançamento do meu terceiro livro onde Aziz foi eternizado no personagem Xeique, em "Uma Aventura na Amazônia - Raycha", dezembro/2008.

Um lindo poema dedicado ao Rio São Francisco é de autoria dessa professora, grande torcedora do São Paulo Futebol Clube e do goleiro Rogério Ceni. Gostaria de publicar esse poema no meu blog. Val, você pode postar ou enviar para mim?


Descrição das imagens: Prof. Aziz Ab'Sáber com mapa nas mãos falando ao público na Biblioteca Mario de Andrade, São Paulo (SP). Abaixo, Biografia de Ab'Sáber é lida pelo também geógrafo e Prof. Dr. Edmilson Brito Rodrigues (Belém-PA), Teatro Eva Herz, Livraria Cultura.
 
 

22/05/2015

A LUTA CONTINUA, ESPERANÇA VOLTA A VENCER DOR

Osasco (SP), maio, 22. Todos os dias me convidam para enfrentar desafios que antes eram nada desafiadores para uma pessoa com domínio próprio da sua condição motora. Uma pessoa de vida e hábitos saudáveis, que nem fazia uso de remédios, e jamais pensou que ficaria refém dos mesmos para mitigar dores de cirurgias mal sucedidas na coluna e danos irreversíveis na pele, em decorrência de maus tratos no pós-operatório.

O desafio de hoje foi socorrer a audição da mamãe, deu pane no seu aparelho auditivo. Não consegui resolver e mandei uma mensagem à fonoaudióloga Samanta, da GN RSound. Por uma lógica matemática desta força inteligente que rege o universo a Samanta estava perto da região onde moro, atendendo outro cliente. Em menos de hora e meia ela estava em casa. Arrastando sua pesada mala de trabalho ela chegou sorridente e confiante, qualidades de uma profissional segura, que ama e confia no que faz e na empresa onde trabalha.
Depois de examinar o aparelho resolveu levá-lo ao laboratório da RSound e deixou outro igual para que minha mãe voltasse a ouvir. Tudo ficará bem e vamos passar um ótimo final de semana juntas. Estou seguindo o conselho da médica Luciana Sodré, outra profissional sorridente e confiante que ama os dons que Deus lhe confiou para salvar e preservar vidas: “Gi, coloca bolsa de água morna, toma o anti-inflamatório que receitei e não pare, não pare nunca!”.

Lu, continuo me movimentando, trabalhando e me esforçando para não deixar a dor vencer a esperança. Não poderia ir descansar meu sofrido corpo sem postar essa mensagem e a foto do atendimento da Dra. Samanta para a dona Fany.
Descrição da imagem: Dra. Samanta examinando minha mãe por meio de
testes de audição em seu laptop. 
Minutos depois dona Fany voltou a sorrir.
 

17/05/2015

DOR ESTÁ VENCENDO ESPERANÇA

"Todo mundo é capaz de dominar uma dor, exceto quem a sente".
William Shakespeare, em "Muito barulho por nada".
Hoje a minha dor na coluna está incontrolável e o analgésico já não faz efeito algum. Tenho saudade de mim andando, correndo pra lá e pra cá resolvendo ou auxiliando na resolução de problemas, sonhando acordada com histórias, temas transversais para escrever, desenvolver projetos, soluções. Tenho saudade de mim cozinhando, lavando o quintal, pintando parede e passeando com mamãe e Tobinho.
Hoje meu passeio é curto e Tobinho quase empurra a cadeira de rodas para me levar até a minha roseira, todas as manhãs, após o banho e curativos. Ele vai correndo, todo animado, como se fossemos dar uma volta no quarteirão, igual antigamente. Foi ele que me fez ver o ninho que uma menina canário está terminando de fazer entre as folhas, flores, galhos e espinhos. Ela não estranha nem a mim nem ao cãozinho. Já acostumou com a rotina de horários do meu quintal.
E a dor, o que eu faço para dominá-la? Todos cuidam mas ao mesmo tempo ninguém cuida porque há cinco anos amanheço e adormeço com dor. Agora está torturante porque parece a dor de uma descarga elétrica. Até quando meu corpo físico e corpo mental suportarão a torturante espera de uma ajuda que me dê esperança de viver em paz? Preciso de ajuda e paz para desenvolver meu último legado nesta vida que me foi dada para viver.


 

13/05/2015

O DIA É DAS MÃES. O PRESENTE É DOS FILHOS

Fotografia é o registro de um momento. Não mostra a dor disfarçada no sorriso. Não mostra o caráter e a força do espírito único guardado na moldura do corpo físico. Fotografia é um fragmento de incontáveis momentos de uma vida plena de emoções. Se olharmos com os olhos do sentir veremos tudo o que uma imagem pode mostrar. À esquerda a cor do amor colorindo de rosa um arranjo de Lírio da Paz. À direita, sentados à mesa, filho, filha e mãe cujo aroma de flor é único e somente os filhos sentem. Nossa mãe tem perfume de Lírio da Paz e seu corpo frágil guarda a força do amor e da esperança.