Toby Collection, pioneer in accessible for children gisele.jorn@uol.com.br

Loading...

12/03/2015

HÁ SOLUÇÃO PARA A EQUAÇÃO CORRUPÇÃO

Se em vez de E.x² tivéssemos C.x²  e fosse possível encontrar um gênio do cálculo e ele desse a solução para resolver a equação corrupção, como seriam os noticiários dos telejornais no Brasil e no mundo?

Manhã dessas não suportei o repetitivo noticiário matinal sobre o desvio de dinheiro público, denúncias de parlamentares eleitos pelo povo recebendo propinas, a cara de inocente dos acusados em seus discursos defensivos e resolvi assistir uma aula de cálculo diferencial e integral. Sempre fui apaixonada pela filosofia que permeia o raciocínio dos matemáticos, suas histórias de vida e devoção às Ciências. Optei por Humanas e jamais pensei que um dia me esconderia diante de uma lousa repleta de fórmulas para fugir dos horrores da bandidagem que avança faminta em direção ao maldito K. O dinheiro é o ópio dessa gentalha que parece se reproduzir como abomináveis roedores numa luta insana com agentes de defesa do bem público.
Eu numa aula de raciocínio sobre conceito de limite à direita, à esquerda e continuidade, importante definição de derivada e integral. Um ramo da álgebra e da geometria. Que coisa mais linda ver um professor e alunos numa aula de raciocínio, concentrados. Lembrei-me dos alunos para os quais dei aulas e compartilhei saberes, das inúmeras salas de aula onde entrei e sai emocionada com o diferencial de um ou dois por turma. Jamais esqueci os nomes dos talentos que reconheci. Onde estarão estes alunos? Em que sala de aula estudam ou ensinam seus dons?

Fechei os olhos por instantes e temi pelo futuro dos estudantes que conheci tão bem. Temi vê-los engravatados, corrompidos pelo sistema que aí está. Temi reencontrar meninos e meninas brilhantes compactuando com o raciocínio nefasto de quem engendra e sustenta a matemática da corrupção. É certo que esses gênios jamais aparecem ou quando são pegos saem ilesos, sempre prontos para montar complicados cálculos e operações para ofertar a gestores cada vez menos preparados e mais ousados em suas retóricas defensivas.
Abri os olhos, derramei uma lágrima por aquele abnegado professor e pensei no encontro dele com Arquimedes (287-212 a.c) numa possível volta ao passado. Arquimedes, o pensador, engenheiro, inventor, astrônomo e matemático destacado no campo da geometria.

O professor perguntaria para Arquimedes:
− Há solução para E.x²?

Eu perguntaria para os dois:
− Há solução para a corrupção, algo como C.x²?

Ambos, naquela longínqua volta ao passado, provavelmente diriam:
Sim, existe. Mas ainda não foi inventada. Nem ontem, nem hoje, talvez amanhã.

Um comentário:

  1. Sobre os movimentos que estão levando o povo às ruas, vi imagens de alguns fósseis que já desviaram bastante dinheiro público, em nefastas negociações com empresários, entre os manifestantes. É incrível a cara de pau de quem não vê a hora de tomar o poder. Ai que saudade essa gente tem de voltar a se apropriar predatoriamente da coisa pública. Como eu escrevi no meu blog, link no post anterior, existe solução para essa difícil equação CORRUPÇÃO. Ainda não foi inventada, mas há. Nem ontem, nem hoje, talvez amanhã. O impeachment do presidente Collor resolveu o quê? Um secretário com rosto de anjo, amigo do governador tucano paulista, está às voltas com uma séria denúncia de superfaturamento no pão de forma comprado para a merenda dos alunos da rede municipal de ensino do governo petista paulistano. Gente, falta estudo focado no raciocínio, meritocracia, memória e honestidade intelectual, entre outras tantas coisas, desde que o mundo é mundo. Desculpem meu realismo. Faltam cérebros privilegiados. Eles existem. Estão ocupados e muitos morrendo a míngua em laboratórios, nas universidades, sem verbas de incentivo às Ciências, ignorados pela sociedade. Eles estão na NASA, tentando salvar o que sobrar desse lindo e massacrado planeta que sangra.

    ResponderExcluir

Agradeço pela sua presença. Abraço meu, Gisele